Pombo Gira ou Pomba Gira


Em muitas formas espirituais conhecidas como Exu Mulher, em outras uma divindade feminina que trabalha os sentidos dos desejos e transformação dos seres humanos. Pombajira, Bombo Gira ou Pomba Gira é uma entidade que trabalha na Umbanda sendo equivalente à forma feminina de Exu para muitos. O termo poderia ser uma corruptela de Pambu Njila, o inkici equivalente a Exu na língua quimbundo e nação de Angola. Dentro dos terreiros de umbanda e candomblé é muito procurada para trabalhar os sentidos e sentimentos femininos, porém este não é o único sentido ou forma de trabalhos das moças da esquerda, elas conhecem muito sobre caminhos, trabalhando no sentido e abri-los e fortalecê-los, renovação espiritual e reforma pessoal. Quando descem em seus aparelhos ou médiuns ocorre uma transformação no semblante e energia da pessoa, sempre falo para as pessoas prestarem atenção na transformação gradativa que ocorre com a chegada delas, as moças se tornam altivas, “soberbas”, verdadeiramente chic, são espíritos de extrema beleza, acima de tudo carismática, busco palavras para descrevê-las, mas na verdade o visual é o que nos da realmente o sentido de sua presença em terra. Existem Pombo Giras em todos os reinos espirituais elas trabalham em comum acordo com os Exus e relativamente com os Exus Mirins, falo relativamente devido a essência dos Mirins, seu jeito jocoso ou atrevido de ser e as Pombos Giras por serem extremamente compenetrada nos sentidos humanos, as vezes pode ocorrer alguma desavença energética entre essas duas linhas de trabalhos. Engana-se quem ainda pensa que elas foram ou são mulheres de vida fácil, as famosas meretrizes ou cortesãs, sua herança da terra foi de muito trabalho, temos em suas falanges diversas mulheres que foram mães, filhas, freiras, escravas, senhoras, operarias e porque não também cortesãs, enfim foram mulheres na concepção e afirmação das palavras. Quando manifestadas em seus aparelhos gostam de dar risadas e gargalhadas, manifestam alegria e felicidade bebem de forma moderada seus champanhes, e gostam de distribuir suas rosas para as pessoas, não escolhendo o sexo nem a idade de quem a recebera. Há diversas manifestações de inúmeras falanges dessas entidades, que costumam auxiliar seus médiuns nos terreiros de Umbanda, como por exemplo, a mais conhecida das moças da umbanda dona Maria Padilha, a rainha de todas elas algumas pessoas citam que a sua origem foi em terras espanholas e que chega ao Brasil no inicio da colonização em terras Baianas e depois se espalha por todo Brasil, sendo ela a companheira ideal do Exu Tranca Ruas para muitos o casal ideal da linha das esquerdas da Umbanda. Outras Pombo Giras não menos famosas que trabalham nos diversos terreiros de Umbanda são: Rosa dos Ventos, Rainha das Sete Encruzilhadas, Pomba Gira da Calunga, Pomba Gira das Almas, Sete Saias, Pomba Gira Cigana, Pomba Gira Maria Mulambo, Rosa Vermelha, Dona Rosa Caveira, e a mais bela e bonita delas a Rainha do Cemitérios, logicamente existem muitas outras e quem ler este texto, pode também homenagear a sua pomba gira colocando seu nome em sequencia, assim quem sabe conheceremos mais moças que trabalham na Umbanda. As oferendas para elas são inúmeras, sempre acompanhadas de champagne de boa qualidade e bebidas fortes como o gim, Bourbon, licor de anis, algumas apreciam uma boa cerveja, e raramente aguardente ou marafo, são oferecidas cigarrilhas e cigarros de filtro branco, algumas gostam de belas e vistosas piteiras, as inseparáveis rosas vermelhas, sempre em numero ímpar, mel, espelhos, enfeites, jóias, bijuterias, batons, perfumes, enfim, todo o aparato que se atribui à chamada "vaidade feminina". Os despachos ou oferendas as Pomba Giras são feitos em encruzilhadas em forma de "T", cemitérios, estradas e, em alguns casos, jardins. Suas oferendas preferidas sempre têm muitas frutas, como figo, cerejas, maças em formas de fatias, damascos, frutas levemente avermelhadas, em seus padês quentes é de bom tom a colocação de corações de galinhas levemente flambados, peito de frango aberto, da mesma forma levemente levados ao fogo, farinha de mandioca ou milho, pimentas não muito ardidas eu particularmente gosto das de cheiro, somente para enfeitar e dar cor na oferenda, não esquecendo o mel afinal o doce sempre será um atalho para conseguirmos realizar nossos desejos. Enfim são espíritos com a real essência feminina, isto não impede que homens também trabalhem com elas, ou mesmo as incorporem em dias de trabalhos, mas sinceramente não vejo a necessidade da vulgaridade, lembrando que toda e qualquer manifestação espiritual é e sempre será para a prática da caridade e ajuda ao ser humano. Quando iniciei na Umbanda trabalhava na casa de um amigo, era um terreiro fechado, somente iam pessoas conhecidas ou convidados, numero de médiuns reduzidos, pois bem no meu primeiro dia uma moça que trabalhava lá estava com alguns problemas espirituais e era trabalho da esquerda a Mãe do Terreiro queria sete Pombas Giras em terra, porém somente tinha seis mulheres no trabalho e o mais novo de todo era eu adivinhem quem foi a sétima a chegar, pois é minha primeira manifestação na Umbanda foi com ela a Rainha do Cemitério, Mãe, Amiga, Irmã a quem eu adoro de paixão, e sempre coloco seu champanhe, cigarros, velas, e peço a proteção para minha pessoa e família. No lado ruim e deturpado esta os trabalhos nefastos de espíritos obsessores que se apoderam do nome de Pombo Gira e se prestam a fazer trabalhos de amarrações ou mesmo destruições de lares e matrimônios, tenham ciência que na realidade quem faz isto esta se tornando devedor de forças negativas tanto o médium quanto quem solicitou esses trabalhos imorais, verdadeiras Pombos Giras quando solicitadas para tais empreitadas ensinam as pessoas o valor do sentimento do amor e acima de tudo o respeito pela família, existe muito mito sobre este tema e pouco conhecimento sobre as verdades dos trabalhos com eguns sem luz de origem feminina que engana e mistifica em troca de moedas, bebidas e outras coisas mais. Cabe aos verdadeiros Pais e Mães de Santo, Dirigentes e Sacerdotes o esclarecimento de seus filhos e pessoas que buscam suas casas durante os trabalhos de Exu e Pombo Gira, sobre a real e verdadeira essência e forma de trabalhos delas, explicando que acima de tudo colhemos o que semeamos e plantamos e quando nos sujeitamos a destruir com certeza levaremos um bom tempo para pagarmos o nosso quinhão ao nosso senhor na luz. Temos o nosso livre arbítrio com certeza, ele é intocável, inviolável e com certeza responderemos por ele se não fizermos bom proveito de nossos dons. Muito mais temos a falar sobre elas, moças lindas e maravilhosas que ao descerem em terra transformam a energia de um ambiente, onde havia dores sentimos perfumes, onde havia medo sentimos amor, onde havia a descrença sentimos a chegada da fé. Salve todas elas. Salve a Rainha do Cemitério a ela dedico este texto... Ta bom a dona Maria Padilha também, (como São geniosas elas hem....) Laroyê Pombo Gira. Salve sempre seus sorrisos e gargalhadas Roberley Meirelles