Orfanato em Aruanda


Mais uma criança estava voltando para Aruanda com todos os traumas da rejeição. Sempre que Zambi planta uma sementinha no ventre de uma mãe da terra, o som dos atabaques celestiais não param até que a nova flor brote no seio da família escolhida. A cada dia que passa, o milagre da vida vai se firmando para alegria dos muitos irmãos envolvidos no processo. Muitas vezes o som dos atabaques celestiais cessam repentinamente, e o trabalho é interrompido de forma brutal. As lágrimas rolam e molham todos os rostos decepcionados, mas nada mais resta senão resgatar aquela, agora criança, que sem nada compreender chora compulsivamente. E foi assim que eu e a mãe adotiva envolvemos nos braços mais uma criança que voltava para casa com todas as seqüelas do aborto. Ela ficará feliz junto com as outras crianças que vivem aqui em nosso abrigo, e em tempo certo Zambi irá lhe devolver as lembranças e a sabedoria.
Muitas flores conseguem brotar nos jardins da famílias da terra, mas acabam igualmente sendo abandonadas e tuteladas por casas de abrigo. É como olhar um jardim repleto de flores sem as cores e sem perfume.
Próximo ao Natal, muitas pessoas costumam visitar os abrigos e levar presentes, mas o resto do ano, essas crianças sentem no peito a dor do abandono. É o carma delas dirão alguns, mera desculpa, pois nós sabemos que temos o poder de alterar o destino das pessoas.
O dia que Jesus nasceu está por ser festejado novamente, e soma-se a muitas outras giras festivas que acontecem no final do ano. É a celebração da vida, portanto momento de reflexão e de reafirmarmos nosso compromisso assumido para com Deus.Por: Cristina de Oxossi
Saravá meu querido Pai Guiné!!!