Lenda de Obá



Obá nasceu e cresceu grandalhona e desajeitada.
Devido a isso se tornou tímida fugindo do contato com todos.
Para compensar esse lado tão arredio de sua personalidade, tornou-se uma lutadora feroz.
Lutava por prazer e nesses momentos se sentia a melhor e mais bonita das mulheres.
Os embates em que ela participava eram disputados, todos queriam assisti-la em ação.
Não escolhia adversários, derrubava homens e mulheres com a mesma naturalidade.
Cada vitória era ovacionada por dezenas de pessoas e assim sua fama de campeã acabou rompendo os limites de sua tribo indo parar em terras distantes.
Ogum, o grande guerreiro de terras vizinhas, ficou extremamente perturbado com a fama daquela mulher e resolveu ver de perto se ela realmente merecia o que dela se falava.
Disfarçado, pois era muito conhecido nos campos de luta, observou vários desafios enfrentados por Obá e ficou abismado com a facilidade com que ela vencia.
Era uma mulher grande sem traços de beleza, mas com uma altivez que mexeu com o rapaz Sem pensar duas vezes desafiou- a.
Ela ficou espantada, pois não imaginava uma luta com o grande Ogum conhecido por suas vitórias, mas aceitou sem pestanejar, confiava em si.
Marcaram a contenda para alguns dias adiante o que daria tempo a Obá para que descansasse.
Novamente disfarçado Ogum seguia o treinamento da moça e a cada vez se espantava mais.
Após o terceiro dia começou a temer uma possível derrota, isso seria absurdo e seu nome seria jogado na lama.
Incomodado com esses pensamentos resolveu procurar por um babalaô a quem pediu algo que o fizesse ganhar a luta com certeza.
O adivinho mandou que ele preparasse muitos quiabos com milho, socasse-os no pilão até formar uma pasta grossa e a levasse para o local.
No dia marcado, Ogum chegou bem cedo e no canto destinado a Obá, espalhou a pasta.
Cobriu com folhas todo o circulo assim ninguém veria a artimanha empregada.
Logo que o dia amanheceu as pessoas começaram a chegar, eram muitas, vindas de diversas partes, ambos ficaram muito conhecidos e seria uma grande luta.
A deusa das águas revoltas em minutos mostrou sua superioridade.
Era quase certa a derrota de Ogum, este já adivinhando o final, aproveitou-se de um descuido da mulher e levou-a até a pasta preparada. Obá escorregou e caiu.
Imediatamente o guerreiro pulou para cima dela e a violentou.
A vergonha foi tamanha que ela fugiu e nunca mais foi vista na aldeia.
Foi assim que Ogum tornou-se o primeiro homem de Obá e o único a derrotá-la naquilo que ela fazia de melhor.